Conectados pela Graça

sábado, agosto 19th, 2017

Texto Bíblico: Efésios 2.1-10

INTRODUÇÃO
Com base no tema e texto bíblico propostos pela Unijovem da IBCT (Igreja Batista Central de Timbi – Camaragibe-PE) para ministração neste sábado (19/08), direcionaremos nossa reflexão em seis perguntas, a saber:

  1. Por que estamos conectados com a Graça?
  2. O que motivou essa conexão?
  3. Quais foram os resultados?
  4. Qual a finalidade?
  5. Qual é o fundamento?
  6. Quais as provas de que estamos conectados com a Graça?

1. “Ele vos deu vida [conectou]… Estando vós ainda mortos [desconectados]” (Ef. 2.1-3).
No final do capítulo 1 (v. 20-23), Paulo descreveu o funcionamento do poder divino ao ressuscitar Cristo dentre os mortos e a sua exaltação à direita de Deus, sendo o cabeça da Igreja. Agora, o apóstolo se volta para outra poderosa exibição de poder, não menos importante que a primeira – a ressurreição daqueles que estavam espiritualmente mortos para uma vida nova e santa.

“…Mortos em delitos e pecados” (v.1) – Desde a transgressão de Adão no Éden, cumpriu-se o alerta de Deus em caso de desobediência: “…No dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn 2.17). Por suas transgressões e pecados, nós fomos separados de Deus. Por pecados, devemos entender que é o estado corrupto que leva a uma vida pecaminosa.

Nos versículos 2 e 3, Paulo faz uma conexão entre o “Vós” e “Nós”, fazendo referência tanto aos Efésios, representando os gentios (vós) quanto aos judeus, incluindo aqui o próprio apóstolo (nós), ratificando que o estado de depravação total alcançou todos os homens. Continuando, Paulo detalha a extensão, escravidão e consequências desse estado. Estar sem Deus é estar na morte.

Sem rodeios, Paulo é taxativo quanto ao autor da salvação pela graça: “Ele vos deu vida…” (v. 1a). Com isso, é fácil responder a primeira pergunta: Só estamos vivos, porque Ele nos deu vida! Só estamos conectados, porque Ele nos conectou.

2. A motivação da conexão (Ef. 2.4).
Há uma diferença maravilhosa entre Misericórdia e Graça que muitas vezes se confundem, mas que na verdade se complementam. Vamos destacar aqui só a primeira: Misericórdia é a ação do Amor de Deus aos que estão em estado de miséria – Não dar o castigo que nossos pecados merecem (Descarregar sua Ira);

Tendo mostrado que judeus e gentios estavam espiritualmente mortos, Paulo agora declara a ressurreição espiritual dos santos. Portanto, o que motivou essa conexão foi o grande amor de Deus, que é rico em misericórdia.

3. Resultados da conexão (Ef 2.5-6).
“…Nos deu vida juntamente com Cristo” (v. 5-6) – Ao ressuscitar Cristo e elevá-lo, quando estávamos mortos nos pecados, Deus nos deu vida espiritual pelo evangelho e nos elevou para uma nova vida. Enterrados à morte de Cristo, ressuscitamos com Cristo (Cl 2:12). Nascemos de novo para caminhar com o Cristo ressuscitado, com mentes completamente transformadas (conversão – “metanóia”).

“Nos fez assentar nos lugares celestiais” (v. 6) – Em nosso estado atual, é representado pela mudança radical de nossas mentes, que agora não pensam mais nas coisas desta vida, mas sim nas do alto. “Portanto, se fostes ressuscitados com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são daqui da terra” (Cl 3.1-2)

Portanto, o que motivou essa conexão foi o grande amor de Deus (v. 4b, cf. Jo 3.16) que gerou essas duas extensões maravilhosas desse amor: Misericórdia para não dá o que merecíamos (castigo pelos pecados), e Graça para nos dá o que não merecemos (perdão dos pecados e nova vida em Cristo).

4. A finalidade da conexão (Ef 2.7).
Mostrar em todos os tempos futuros a essência da riqueza de sua graça, ao salvar, purificar e abençoar seus filhos.

5. O fundamento da conexão (Ef 2.8-9).
Resposta: A Graça – Amor de Deus aos culpados – Deus dando aquilo que não merecemos. Ao passo que Misericórdia é a libertação do julgamento, Graça é a extensão de bondade aos indignos.

Para que não se esqueçam da doutrina que jamais pregou, Paulo lembra aos efésios que eles foram salvos pela graça de Deus mostrada no evangelho; Que esta salvação foi obtida através da fé.

A salvação não é devido a nós mesmos, mas é o dom de Deus. A construção gramatical do grego não nos permite fazer do termo “fé” o assunto da última cláusula. Não é a “fé”, mas salvação através da fé, que é o dom de Deus. Então, diz John Wesley em suas Notas: “Isso se refere à cláusula anterior, que você é salvo, etc.”

 6. As provas de que estamos conectados com a Graça (Ef 2.10).
Não fomos salvos pelas obras, mas somos o Seu trabalho. Fato é que o homem foi criado para fazer boas obras, obras que glorifiquem ao Deus criador. Agora como novas criaturas, feitas através do evangelho de Cristo, podemos voltar às ações para as quais fomos criados: Fazer boas obras, obras que glorifiquem ao nosso Deus!

É ordem de Deus que todos os que crêem e são salvos pelo Evangelho devem praticar boas obras. Portanto, pela graça de Deus fomos salvos, transformados em novas criaturas e preparados para as boas obras.

CONCLUSÃO
O cristão que foi conectado pela graça de Deus e por ela foi tocado, age movido pela graça (sem obrigações), sabe que não vai ter lucro com o que está fazendo, mas mesmo assim ele faz. Faz porque sente-se livre… faz pela Graça. Quem vive pela graça exala o cheiro da graça!

#QueTenhamosUmaVidaCheiaDaGRAÇA!

Por Linaldo Lima
Site Oficial: linaldolima.com
E-mail: linaldolima@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/linaldolimaoficial2
Twitter: https://www.twitter.com/linaldolima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *