O Papel do homem cristão na família e na sociedade pós-moderna

quarta-feira, setembro 23rd, 2015

Textos Bíblicos:

1. Filipenses 1.27: “Portai-vos como cidadãos dignos do Evangelho de Cristo, para que dessa forma, quer eu vá e vos veja, quer tão-somente ouça a vosso respeito em minha ausência, tenha eu conhecimento de que permaneceis firmes num só espírito, combatendo unânimes em prol da fé evangélica”;

2. 1 Coríntios 11.3: “Entretanto, desejo que entendais que Cristo é o Cabeça de todo homem; o homem, o cabeça da esposa; e Deus, o cabeça de Cristo”

papel-do-homem-cristãoINTRODUÇÃO
Podemos iniciar nossa reflexão já com a seguinte verdade: A família e a igreja, em suas devidas atribuições, são extremamente importantes para o cumprimento do propósito de Deus na sociedade pós-moderna. E o papel de liderança do homem é fundamental para o alcance desse objetivo.

Segundo o Pr. Leonardo Garcez, família, igreja e sociedade são termos que definem o meio de sobrevivência e desenvolvimento das atividades do indivíduo, ao longo de sua existência, bem como são, cada uma delas, responsáveis pelo crescimento físico, mental, social e espiritual de cada pessoa envolvida (http://ebdnanet.blogspot.com.br/2010/04/licao-1-familia-igreja-e-sociedade.html).

Sobre a Família
Em linhas gerais, família significa um conjunto de pessoas servidoras entre si, grupo de indivíduos com grau de parentesco (ou aliança) que vive em conjunto, mantendo-se em relação relações definidas. A família é a instituição mais antiga do mundo, e por isso é a responsável pela formação das demais instituições que compõem o meio social.

Sobre a Igreja
A Igreja é um edifício construído com “pedras vivas” (1 Pedro 2:5). Edificada por Cristo (Mateus 16:18) e fundamentada na pregação e ensino dos apóstolos (Atos 2: 42-46), a igreja é um organismo vivo, que em sua essência proclama o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, cujo objetivo maior é glorificar a Deus.

Sobre a Sociedade
Por definição, podemos compreender sociedade como uma estrutura composta por famílias, cujas peculiaridades são descritas em termos das relações familiares nela existentes. A estrutura social é formada por grupos interligados, que são considerados como uma unidade onde todos participam e compartilham de cultura e leis comuns. O objetivo do apóstolo Paulo é resgatar através da igreja as condições saudáveis de uma sociedade irrepreensível e sincera (Filipenses 2:15).

Em suma, a família é o princípio norteador da sociedade e a igreja opera pelo equilíbrio espiritual, sendo fonte para a família e referencial para a sociedade. Pelo menos é assim que deveria ser. E qual o papel do homem cristão em todos esses contextos? Pois bem, é justamente sobre isso que trataremos a seguir.

1. O HOMEM CRISTÃO COMO LÍDER DA FAMÍLIA
No segundo texto de nossa reflexão, vemos que o apóstolo Paulo estabelece uma linha sequencial de autoridade: Deus – Cristo – o homem – a mulher (leia-se a família). Para cumprir seu papel segundo a vontade de Deus, o homem precisa ser o verdadeiro líder de sua família. A renúncia dessa tarefa implica em graves consequências.

Essa liderança não é imposta, mas naturalmente identificada e referendada pela esposa e filhos. Diante de tantas discussões hoje no Brasil em torno da ideologia de gênero e de novos conceitos que estão querendo adotar para a família, nunca se percebeu tanto a necessidade da figura do homem como provedor, com decisões firmes, viril, que está sempre presente na vida familiar, que não foge às suas responsabilidades, mas também mostra equilíbrio no exercício da função, como se espera de todo líder autêntico.

Entretanto, para alcançar esse status de líder da família, o homem cristão precisa dispor de tempo para a comunhão com Deus. Quando falamos de comunhão com Deus, também estamos atrelando a comunhão com a Igreja. O homem cristão precisa amar sua igreja, desejar se reunir com os irmãos e funcionar como um verdadeiro membro do corpo.

O mais importante de tudo é que o homem cristão seja liderado por Cristo, submetendo sua vontade, seus planos e suas decisões à autoridade daquele que é Senhor. Porque é na Graça de Cristo que o homem encontra a capacitação necessária para ser o líder de sua família. É na Palavra de Cristo que ele aprende os princípios que irá aplicar no bom governo de sua casa. É numa vida de oração que ele consegue a ajuda de Cristo para solucionar problemas que parecem insolúveis. É no serviço a Cristo que ele se tornará exemplo a ser seguido pela sua família e, consequentemente, pela sociedade. Veja como Paulo se refere aos discípulos Estéfanas, Fortunato e Acaico em 1Co 16:17-18.

2. ESCLARECENDO SOBRE A LIDERANÇA MASCULINA
Como bem disse Alfredo de Souza no artigo “O Homem Cristão contra o Mundo” (http://www.internautascristaos.com/textos/artigos/o-homem-cristao-contra-o-mundo), a incompreensão sobre a doutrina da liderança masculina sobre a mulher acaba gerando duas atitudes pecaminosas e antibíblicas pelos homens dentro da família, igreja e sociedade. São elas:

a) Omissão total do seu papel de líder. Nessa atitude, o homem não assume as rédeas de seu próprio lar, deixando de conduzir a esposa e os filhos por meio da autoridade concedida por Deus. Isso causa insegurança e instabilidade emocional na família. São os famosos “homens bananas”, que acabam obrigando ou favorecendo as mulheres a assumirem o papel exclusivamente masculino, promovendo a inversão pecaminosa daquilo que o Senhor ordenou para a economia familiar, social e eclesiástica; ou

b) A manifestação machista, onde o homem se sente no direito de agir como se a mulher estivesse abaixo dele. É daí que surge a violência contra a mulher, que tanto ocorre no Brasil.

Para encontrarmos o equilíbrio bíblico sobre essas questões, sugerimos quatro reflexões, as quais são:

1.1. A autoridade masculina não anula as qualidades femininas.
Muitos homens pensam que liderar é resignar sua esposa à condição de empregada ou objeto sem valor. A mulher possui dons e talentos que devem ser reconhecidos e até estimulados para melhor desenvolvimento do lar. São eles:

a) A capacidade dada por Deus faz com elas sejam mestras do bem;
b) Instrutoras da verdade;
c) Inteligentes na administração da casa;
d) Negociadora e lucrativa

O marido bíblico é aquele que reconhece e incentiva a atuação da mulher dentro da sua esfera de atuação.

1.2. A autoridade masculina torna o homem um servo da mulher.
Vejamos o que o apóstolo Paulo fala aos Efésios: “Portanto, não sejais faltos de juízo, mas buscai compreender qual é à vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, que leva à devassidão, mas deixai-vos encher pelo Espírito, falando entre vós com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, e cotidianamente dando graças por tudo a Deus, o Pai, em o Nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo. Esposas, cada uma de vós respeitai ao vosso marido, porquanto sois submissas ao Senhor” (Efésios 5:17-22).

Notemos que Paulo menciona a submissão da mulher como consequência da submissão mútua no Corpo de Cristo, logo, em certa medida, as atitudes do marido para com a mulher devem ser as de um servo. O marido deve servir a sua esposa.

1.3. A autoridade masculina anula o egoísmo e o orgulho humano.
Vejamos mais um texto de Paulo: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo…” (Efésios 5:25 – 33).

O amor do homem cristão para com a sua esposa deve esmagar seus desejos particulares e egoístas, bem como preservá-la ao máximo. O objetivo da liderança masculina é glorificar a Deus e proteger a mulher, mesmo que para isso ele tenha que dar a vida por ela.

CONCLUSÃO
Quando o homem cristão entender e assumir seu papel de líder, sob a perspectiva bíblica, teremos lares mais emocional e espiritualmente mais sólidos, que refletirão consequentemente numa igreja firme, bem como numa sociedade mais equilibrada.

#ADeusTodaGlória

Por Linaldo Lima
Blog Oficial: http://www.linaldolima.com
Facebook: http://www.facebook.com/BlogDeLinaldo
E-mails:
contato@linaldolima.com / linaldolima@gmail.com
Skype: linaldolima
Twitter: @linaldolima

BIBLIOGRAFIAS:

1. GARCEZ, Pr. Leonardo. Lição 01 – Família, Igreja e Sociedade. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL: http://ebdnanet.blogspot.com.br/2010/04/licao-1-familia-igreja-e-sociedade.html. Acesso em 11/09/2015;
2. SOUZA, Alfredo de. O Homem Cristão contra o Mundo. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL: http://www.internautascristaos.com/textos/artigos/o-homem-cristao-contra-o-mundo. Acesso em 11/09/2015;
3. MACRI, Sylvio. O Homem Cristão como Líder da Família. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL: http://www.prazerdapalavra.com.br/colunistas/sylvio-macri/6760-o-homem-cristao-como-lider-da-familia-sylvio-macri. Acesso em 11/09/2015;
4.   JAMES, Kim. Bíblia de Estudo Atualizada. Versão KJA. 2001-2011 v1. 2 – Disponível no aplicativo Bible Analyser 4.

3 thoughts on “O Papel do homem cristão na família e na sociedade pós-moderna

  1. Ótimo texto, é uma pena que nas igrejas não abordem isso. Hoje os homens já esperam ajuda financeira de suas esposas, o que deveria ser exceção, está se tornando regra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *