Por que é tão difícil AMAR?

segunda-feira, fevereiro 22nd, 2016

 

No domingo 22/01/2012 estivemos ministrando na classe de adultos da EBD sobre o “Ser de Deus”, tendo como foco os atributos comunicáveis de Deus aos homens, a saber: veracidade, amor, santidade e justiça.

Quando chegamos no ponto acima destacado fizemos a pergunta tema de nossa reflexão. Percebemos, então,  que essa questão ecoa pelos ares de todos os lugares por onde passamos, por “quase” todos os cristãos que cruzamos nessa vida, bem como por todos os estratos da nossa sociedade. Demos um tempo de dois minutos para que a classe se pronunciasse, mas ninguém respondeu ou comentou sobre a pergunta, entretanto, estavam todos com os olhos vidrados em nossa direção, esperando a resposta.

Pois bem, na mesma hora que fizemos a pergunta para a classe também ficamos refletindo sobre a questão e, como que por impulso, a resposta saiu sem quaisquer dúvidas:  Estamos acostumados a sempre receber algo em troca por aquilo que damos aos outros.

Foi aí que lembramos de que, quando criança somos educados pelos nossos pais a “fazer o bem sem olhar a quem”, entretanto, no final do ano letivo um filho é premiado porque foi aprovado na escola, enquanto o outro é punido porque foi reprovado. Essas crianças, então, crescem sabendo que receberão algo em troca por aquilo que eles entregarem no final do ano aos pais (prêmio ou punião). Talvez seja esse o motivo de logo cedo já começarmos a competir, buscando o retorno, carinho e atenção de nossos pais. O negócio é tão sério, que a criança começa a negociar com os pais, com frases do tipo: “Se eu passar, mãe/pai, você me dá o videogame tal no final do ano?” Ás vezes também acontece dos próprios pais negociarem com seus filhos, dizendo coisas do tipo: “Filho(a), tenho duas opções para você escolher no fim do ano, caso você seja aprovado(a): Uma coisa ou outra”.

Quando já somos adultos, entendemos que temos que receber pelo menos um “muito obrigado” da pessoa que recebeu um presente nosso. E quando encontramos a pessoa, damos sempre um jeitinho de perguntar: “e aí, o que achou do meu presente?” Se a pessoa cair na infelicidade de dizer que trocou ou perdeu o presente… Pense no tamanho da fúria que ficamos.  Um dia , demos uma camisa de presente a um grande amigo no dia de seu aniversário. A camisa era tão bonita que até ficamos com vontade de ter uma. Na hora em que ele recebeu o presente, ele ficou tão feliz que não conseguia dizer nem uma palavra sequer, mas seus olhos brilhavam tanto e seu sorriso estava tão radiante que não cabia no seu rosto. Três meses depois perguntamos pelo presente e, lembro de sua resposta como se fosse hoje: “Vendi para poder comprar comida. Estava com muita fome e não tinha nada em casa”. Fizemos questão de lembrar dessa história enquanto refletíamos sobre o tema em sala.

Para concluir, demos a seguinte setença: Quando aprendermos a dar algo a alguém ou fazer algo por alguém simplesmente porque esse indivíduo é tão importante para Deus quanto o é para nós, então não haverá mais dificuldade em amar o próximo. Quando pararmos de exigir feedback da entrega de nosso carinho, amor, afeto, amizade, companheirismo, lealdade, fidelidade, dignidade e passarmos a compartilhar essas características deliberadamente com todas as pessoas, somente porque as amamos como elas são, sem qualquer distinção, então será muito fácil amar.

No Evangelho de João 15: 12, o Senhor Jesus tratou de aperfeiçoar ainda mais o maior de todos os mandamentos, quando falou: “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei”. Ele deu o maior exemplo quando nos entregou o Seu amor, mesmo quando todos nós lhe retribuímos com injúria, calúnia, difamação, bofetes, flagelos, castigos e, achando pouco… Morte na cruz! Ele nos amou deliberadamente, sem reservas e sem esperar algo em troca. Sua decisão de nos amar foi pelo simples fato de sermos a coroa da criação. Jesus nos amou somente porque somos importantes para Deus.

Quando entendermos essa questão de uma vez por todas, então nossa vida em comunidade (família, igreja, sociedade, etc.) será muito mais prazerosa.

A Deus seja a Glória!

Por Linaldo Lima
Site Oficial: linaldolima.com
E-mail: linaldolima@gmail.com
Baixe o nosso Aplicativo para Android: Clique Aqui!
Facebook: https://www.facebook.com/linaldolimaoficial2
Twitter:
https://www.twitter.com/linaldolima

6 thoughts on “Por que é tão difícil AMAR?

  1. Temos que matar nossa forma de amar, esquecer esses conceitos que aprendemos desde de crianças, amar por condição, amar pelo retorno de algo, “escolher a quem amar”….temos que nos despir da forma egoísta e hipócrita que amamos, e amar sem exigir. Quando Deus ocupa lugar de Deus em nossas vidas, quando o servimos com entendimento e compromisso, fica mais fácil alcançar esse ” patamar”. Bela reflexão!!

  2. Bênção de Deus, que possamos entender que Deus é amor , que Amor é Deus. E que o evangelho sem o amor é vazio, e que não se pode amar a Deus que é um ser “invisível”, e não amar nosso próximo que é visível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *