A Importância da Ressurreição

domingo, Março 27th, 2016

Texto Bíblico: 1 Coríntios 15: 12-19; 58.

INTRODUÇÃO
A essa hora do dia (7:32h do domingo de páscoa (27/03/2016)), por volta do ano 30 d.C., as ruas de Jerusalém já estavam infestada com a notícia da ressurreição de Jesus. Para os discípulos, era o cumprimento do que Ele já falava em vida. Para confundir, o Sinédrio pagou os guardas que estavam no túmulo para contar a história de que os discípulos “roubaram” o corpo enquanto eles dormiam, para espalhar por aí que e Cristo tinha ressuscitado. Para Roma, era mais uma turbulência provocada pelos judeus e sua religião.

A verdade é que, desde a ascensão do Messias aos céus vários grupos tem se levantado, ao longo da história da igreja, para invalidar a doutrina da ressurreição eterna de Cristo, com vários argumentos e pseudo comprovações, com o fim de anular a essência do cristianismo. No texto bíblico em questão, Paulo faz mais uma defesa contra mais um grupo de hereges que se levantou na igreja de Corinto pregando contra a ressurreição.

A defesa de Paulo deixou clara que sem a ressurreição, não há cristianismo. Por quê? Vejamos:

1. Sem a ressurreição, não há regeneração.
Em sua ressurreição, Jesus obteve para nós uma vida semelhante a dEle. Claro que não a recebemos por completo, porque nosso corpo ainda é o mesmo, sujeito a fraqueza, doença e morte. Mas o fato é que, através da ressurreição, Cristo conquistou para nós um novo tipo de vida que recebemos quando “nascemos de novo” (Ef 2.5-6; cf. Cl 3.1).

2. Sem a ressurreição, não há justificação.
Entendamos justificação como “recebimento da declaração de que não somos mais culpados, mas retos diante de Deus” (Rm 4.25). Quando Jesus ressuscitou dentre os mortos, essa foi a declaração de aprovação, da parte de Deus, da obra redentora de Cristo (Fp 2.8-9). Não há mais nenhuma pena a ser paga pelo pecado, nenhuma ira de Deus, nenhuma culpa ou motivo de punição – Tudo foi completamente pago (complemento no áudio).

Portanto, somente a ressurreição pode nos declarar como “INOCENTES”.

3. Sem a ressurreição, não há corpo glorificado.
O Novo Testamento associa a ressurreição de Jesus com a nossa ressurreição corpórea final (1Co 6.14; 2Co 4.14). Ao se referir a Cristo como as “primícias”, Paulo utiliza uma metáfora da agricultura para indicar que seremos como Cristo.

Somente pela ressurreição poderemos ter o nosso corpo transformado, no final, recebendo um corpo incorruptível para a vida eterna.

APLICAÇÕES PRÁTICAS (1Co 15.58).

  1. Porque Cristo ressuscitou, e nós também ressuscitamos com ele, bem como seremos ressuscitados dos mortos no final, devemos continuar firmes na obra do Senhor. Essa firmeza se dá pela confiança que temos de que somos salvos;
  2. A ressurreição resulta numa recompensa celestial futura, que deve ser o nosso alvo.
    • Devemos enxergar que a ressurreição é um período em que todas as dificuldades da vida serão recompensadas (1Co 15.17-19; cf. Cl 3.1-4). E isso pode começar a ser vivido agora.
  3. A ressurreição nos obriga a deixar de nos submeter ao pecado em nossa vida (Rm 6.11-13).
    • O fato de que temos este novo poder da ressurreição sobre o domínio do pecado em nossa vida, é usado por Paulo para exortar-nos a não pecar.

CONCLUSÃO
JESUS CRISTO RESSUSCITOU!!! E, por isso:

  • Fomos regenerados;
  • Somos justificados;
  • Temos uma nova vida em Cristo;
  • Teremos um corpo glorioso para viver toda a eternidade;
  • Devemos nos manter firmes na obra do Senhor;
  • Temos como alvo a recompensa futura e eterna;
  • Somos salvos.

E uma vez salvo, salvo para sempre!

#CristoRessuscitou

Por Linaldo Lima
Site Oficial: linaldolima.com
E-mail: linaldolima@gmail.com
Baixe o nosso Aplicativo para Android: Clique Aqui!
Facebook: https://www.facebook.com/linaldolimaoficial2
Twitter: https://www.twitter.com/linaldolima