Profissão ateu!

quarta-feira, novembro 28th, 2012

Convencê-los acerca da existência de Deus é um baita desafio… Eles são peritos em defender seus argumentos racionais… São profissionais em defender suas convicções.

ateuEstava meditando novamente sobre os números do Censo IBGE 2010, mais precisamente sobre as religiões. Daí lembrei que um grande amigo, que também é ateu, havia informado que o número dos “sem religiões” no Brasil também havia crescido, atingindo a marca de 15 milhões em 2010. Aproveitei o momento para confirmar essa informação e, infelizmente, ela é verídica (como também é explicada pelo descrédito de muitos religiosos em nosso país, que se utilizam das religiões para construir impérios pessoais).

O Censo 2010 registrou que, em 10 anos, a população que se declarou sem religião cresceu 0,7%, passando dos 7,3% (12,5 milhões de pessoas) para 8,0% (15 milhões) da população brasileira. Os Ateus estão nessa classificação, mas não conseguimos precisar o quanto (em percentual) eles representam nessa fatia, principalmente porque há várias formas de ateísmo praticadas no Brasil e, também porque ateísmo virou moda.

Pois bem, nessa reflexão objetivamos tratar sobre algumas das várias formas de negação da existência de Deuse, nela, destacar alguns tipos de ateus (porque até eles possuem “denominações”).

Os estudiosos de religiões comparadas e os missionários frequentemente dão testemunho do fato de que a ideia de Deus é praticamente universal na raça humana. É encontrada até mesmo entre as mais atrasadas nações e tribos do mundo. Entretanto, isso não significa que não há indivíduos que negam a existência de Deus completamente, nem tampouco que não há um bom número de pessoas em terras cristãs que negam a existência do Deus que é revelado nas Escrituras, uma Pessoa de perfeições infinitas, autoexistente e autoconsciente, que realiza todas as coisas segundo um plano predeterminado (Geisler, 2010).

Pois bem, esses indivíduos existem e muitos deles atendem pelo nome de ateus, os quais também formam suas “denominações”, muitas vezes de maneira inconsciente, mas formam. Há os ateus práticos e os que são teóricos. Os primeiros (ateus práticos) são apenas pessoas não religiosas, que na vida prática não contam com Deus, e vivem como se Deus não existisse. Já os últimos (ateus teóricos) são em regra de um tipo mais intelectual, e baseiam a sua negação num processo de raciocínio. Procuram provar que Deus não existe usando para este fim aquilo que lhes parece argumentos racionais conclusivos. Numa análise simples, o ateísmo resulta do estado moral pervertido do homem e do seu desejo de fugir de Deus.

Não se pode duvidar da existência de Ateus Práticos, uma vez que tanto as Escrituras como a experiência a atestam. No Salmo 14 há a seguinte declaração: “Diz o insensato em seu coração: Não há Deus” (Sl 14: 1). E Paulo lembra aos cristãos efésios que eles tinham estado “sem Deus no mundo”(Ef 2: 12). A experiência cotidiana também dá abundante testemunho da presença deles no mundo. Eles não são necessariamente insensatos notórios aos olhos dos homens, mas podem pertencer aos assim chamados “homens decentes do mundo”, embora consideravelmente indiferentes para com as coisas espirituais. Tais pessoas muitas vezes têm a consciência de que estão em desarmonia com Deus, tremem ao pensar em defrontá-lo e procuram esquecê-lo. Parecem ter um secreto prazer em exibir o seu ateísmo quando tudo vai bem, mas é sabido que dobram os seus joelhos em oração quando sua vida entra em perigo repentino.

Já os Ateus Teóricos pertencem à outra espécie. Geralmente são de um tipo mais intelectual e procuram justificar a afirmação de que não há Deus por meio de argumentação racional. O professor Flint (Anti-Theistic Theories, p. 4s) separa três espécies de ateísmo teórico. São elas: (1) Ateísmo dogmático, que nega decisivamente a existência de um ser divino; (2) Ateísmo cético, que duvida da capacidade da mente humana de determinar se há ou não há um Deus; e o (3) Ateísmo crítico, que sustenta que não á nenhuma prova válida da existência de Deus. Essas espécies frequentemente caminham de mãos dadas, e mesmo o mais moderado deles realmente declara que toda e qualquer crença em Deus é uma ilusão. O ateísmo teórico geralmente está arraigado em alguma teoria científica ou filosófica.

Em suma, os ateus fazem parte do grupo dos sem religião no Brasil, e esse grupo já corresponde a 15 milhões de brasileiros (8,0% da população), que precisam enxergar a verdade praticamente universal acerca da existência de Deus, como foi mencionando acima. Convencê-los acerca da existência de Deus é um baita desafio, principalmente porque eles são peritos em defender seus argumentos racionais, bem como se fecham para tudo o que é espiritual… São profissionais em defender suas convicções. Por isso a escolha do tema inusitado dessa reflexão.

Para finalizar e nos deixar com a sensação de um “final feliz”, segue o link de uma entrevista feita pelo site “Na Mira da Verdade” a um ex-ateu, chamado Rafael Schroder: http://novotempo.com/namiradaverdade/2012/07/06/um-ateu-garante-%E2%80%9Cateismo-e-moda%E2%80%9D/.

Que Deus possa colocar em nós uma estratégia para alcançar os Ateus para Cristo!

BIBLIOGRAFIA:

  1. BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática. 3ª Ed. São Paulo, Cultura Cristã, 2009;
  2. BÍBLIA de Estudo Aplicação Pessoal. Versão Almeida, Revista e Corrigida. 1995;
  3. IBGE.gov.br. Censo 2010: número de católicos cai e aumenta o de evangélicos, espíritas e sem religião. Disponível na internet via WWW, através da URL: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=2170&id_pagina=1. Acessado em 27/11/2012;
  4. NOVOTEMPO.com. Na Mira da Verdade: Um ateu garante: “ateísmo é moda”. Disponível na internet via WWW, através da URL: http://novotempo.com/namiradaverdade/2012/07/06/um-ateu-garante-%E2%80%9Cateismo-e-moda%E2%80%9D/. Acessado em 27/11/2012

 

Por Linaldo Lima
Blog Oficial: http://www.linaldolima.com
Facebook: http://www.facebook.com/BlogDeLinaldo
E-mails:
contato@linaldolima.com / linaldolima@gmail.com
Skype: linaldolima
Twitter: @linaldolima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *