O Sexto Sentido do Líder

quarta-feira, Abril 3rd, 2013

Texto-Base: Êxodo 18: 1 – 24.

sexto-sentido-do-liderFalar de sexto sentido na liderança é tratar de características que fogem daquilo que é óbvio, as quais destacam os melhores dos bons líderes.

No texto bíblico que tomamos como base desse estudo, Moisés demonstrou ser um bom líder que ainda precisava desenvolver esse ‘sexto sentido’, enquanto seu sogro demonstrou que já possuía essa característica bem desenvolvida. Essa característica diferenciada nada mais do que a intuição.

Segundo o Dicionário Houaiss, intuição é a “faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independente de raciocínio ou de análise”.

A intuição, na liderança, muitas vezes diferencia os melhores líderes dos ‘simplesmente bons’. Algumas pessoas nascem com grande intuição de liderança, outras precisam desenvolvê-la ao longo da vida. Essa característica faz com que o líder perceba questões fundamentais, habilitando-o para conseguir o manejo de fatores que não são perceptíveis pela maioria, compreendê-los e trabalhar com eles a fim de atingir suas metas de liderança.

Líderes de sucesso veem cada situação em termos de recursos disponíveis: dinheiro, matéria-prima, tecnologia e, principalmente, pessoas. Lideres intuitivos podem perceber o que está acontecendo entre pessoas e, quase instantaneamente, conhecem as esperanças, os temores e as preocupações delas.

1. A Intuição de Jetro (Êx 18: 1 – 24).
Moisés foi um bom líder, não um líder natural. Quando se encontrou com Jetro no deserto, junto ao monte de Deus (Êx 18: 5), ainda tinha pouca experiência como líder de Israel. Os longos anos no deserto ajudaram Moisés a desenvolver seu espírito de liderança, como também sua intuição. Uma das pessoas que contribuíram com esse desenvolvimento foi seu próprio, Jetro. Ele demonstrou ser um líder natural, uma vez que, ao olhar para uma situação diferente de tudo o que já tinha visto (seu genro liderando mais de um milhão de ex-escravos), e soube exatamente como agir. Podemos definir a atitude de Jetro como uma ação de intuição. Essa atitude de Jetro nos ensina uma lição muito importante sobre a ação da intuição na liderança, a saber: o que você é determina o que você vê!

Como líder intuitivo, Jetro pôde diagnosticar o fato de que, com o aumento da população, a tendência era agravar o problema da liderança de Moisés. Pôde prever que seu genro enfrentaria muitos desgastes caso não partilhasse suas atividades. Então, sugeriu-lhe colocar homens tementes a Deus e capazes, para chefiar grupos de mil, cem, cinquenta e dez (Êx 18: 17 – 27). Com a sua intuição, Jetro soube avaliar a circunstância e oferecer uma sugestão que, ao ser aceita por Moisés, o aliviou um pouco de sua pesada tarefa à frente do povo de Israel, rumo à terra prometida.

No conselho dado a Moisés, Jetro o orientou a buscar os recursos de Deus, ensinar ao povo as leis do Senhor e a delegar poderes, com o fim de aliviar o seu fardo.

2. O Discernimento de Paulo (At 16: 1 – 18).
Em se tratando de liderança cristã, a “intuição” por si só não é suficiente porque ela nos remete a algo da capacidade humana; e um líder cristão sabe que a capacidade para perceber determinadas coisas não vem do homem, mas de Deus.

Sendo assim, todo líder precisa de discernimento. O apóstolo Paulo era um líder que sabia discernir as coisas. Daí sua capacidade em escolher novos líderes. Percebemos que, em cada igreja fundada, Paulo escolheu pessoas idôneas, credenciadas por virtudes, para dirigir as igrejas e cuidar do rebanho.

Como líder intuitivo, Paulo sabia discernir a vontade de Deus para sua vida missionária. Estava sempre pronto a ouvir a voz do Espírito Santo e obedecer a ela. No texto bíblico deste tópico, vemos três exemplos que demonstram esse discernimento do apóstolo, a saber: (1) Visão em Trôade (At 16: 6 – 10), (2) Conversão de Lídia (At 16: 11 – 15) e (3) a Libertação da Jovem (At 16: 16 – 18).

Perguntar não ofende: Como reconhecer um líder com discernimento? Respondendo a questão, esses líderes usualmente repartem alguns traços comuns em sua liderança, os quais são:

  • Bons ouvintes;
  • Intuitivos e receptivos;
  • Bem conectados;
  • Flexíveis; e
  • Otimistas.

Para finalizar esse estudo em Hebreus 5: 14 está escrito que o discernimento está ligado à palavra de Deus. Sendo assim, quanto mais o líder ingerir “alimento sólido”, maior capacidade terá para “discernir não somente o bem, mas também o mal”.

Que Deus continue te abençoando.

Por Linaldo Lima
Blog Oficial: http://www.linaldolima.com
Facebook: http://www.facebook.com/BlogDeLinaldo
E-mails:
contato@linaldolima.com / linaldolima@gmail.com
Skype: linaldolima
Twitter: @linaldolima

REFERÊNCIAS:

  1. ALCÂNTARA, Pr. Jessé Pereira de. Princípios Bíblicos de Liderança (Série Serviço Cristão) – ‘A Lei da Intuição – Discernimento’. 1ª Ed. São Paulo, Cristã Evangélica, 2011;
  2. MAXWELL, John C. As 21 irrefutáveis leis da liderança: uma receita comprovada para desenvolver o líder que existe em você. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2007;
  3. BÍBLIA de Estudo Aplicação Pessoal. Versão Almeida, Revista e Corrigida, 1995;
  4. BÍBLIA Devocional de Estudo. Versão Almeida, Revista e Corrigida com referências, 1997.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *