Porque me envergonho do Evangelho

domingo, Março 12th, 2017

Texto Bíblico: Romanos 1: 16-17

INTRODUÇÃO
O texto bíblico em destaque apresenta um resumo de todo o conteúdo da carta aos Romanos, cuja exposição detalhada será feita pelo apóstolo Paulo nos capítulos posteriores.

Um fato curioso sobre essa carta é que a igreja de Roma não foi iniciada pelo apóstolo Paulo. Provavelmente deve ter sido iniciada por alguns convertidos que residiam em Jerusalém na ocasião da descida do Espírito Santos (At 2.10), e que voltaram para Roma divulgando sua fé em Jesus Cristo. A carta foi escrita para um grupo de cristãos que o coração de Paulo ansiava por visitar.

Após fazer sua apresentação como apóstolo (Rm 1.1-7), elogiar a fé pública dos cristãos romanos e reforçar seu desejo de visita-los (Rm 1.8-14), Paulo começa o versículo 16 respondendo uma pergunta implícita: “Pois não me envergonho do evangelho de Cristo”

1.  Por que alguém se envergonharia do Evangelho?
A tendência que pode levar um cristão a envergonhar-se do Evangelho é o fato de que o mundo sempre o ridicularizou e o considera uma loucura completa (ver 1Co 1.22-23). E homem nenhum gosta de ser ridicularizado

Então, por que será que o mundo ridiculariza o Evangelho de Cristo? A resposta é simples: é por causa da própria mensagem do Evangelho, que proclama alguém que:

  1. Nasceu num estábulo (não havia quartos disponíveis);
  2. Criado numa pequena aldeia, treinado como carpinteiro;
  3. Foi crucificado em aparente fraqueza;
  4. Morre enquanto a “oposição” zomba dele (ver Lc 23.35);

Outros pontos importantes:

  1. Diferente da filosofia, o Evangelho é uma exposição de fatos;
  2. O Evangelho tira o homem do centro do poder e coloca Deus;

Para reforçar, o foco aqui é Roma – A senhora do mundo, a capital do império, a sede do governo, para onde sempre se dirigiam os poderosos. Diante de todo esse cenário, viria um homem dizendo que o salvador do mundo era um carpinteiro de Nazaré… seria “a piada do ano”.

Portanto, já prevendo as objeções acima, o apóstolo já começa sua exposição ratificando seu argumento principal: “NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO DE CRISTO”.

2.  Razões para não se envergonhar do Evangelho de Cristo

2.1.  A própria palavra “Evangelho” (Rm 1.16).
Significa “boas novas”, “boas notícias”, “alegres novas”. A mensagem mais maravilhosa e assombrosa que o homem pode ouvir. São as boas novas do filho de Deus. Essa é a mensagem de Paulo.

O apóstolo não se envergonhava porque era arauto da mensagem mais gloriosa, mais majestosa e mais emocionante que a humanidade já ouviu!

2.2. Porque é o único meio de Salvação (Rm 1.16).
Mas salvação de quê? Por que o homem precisa ser salvo? No áudio desta mensagem há uma explicação mais detalhada sobre a doutrina da depravação total que ajuda a entender melhor esse ponto.

Salvação, portanto, é a libertação do homem das consequências da queda e do pecado:

  • Libertação da culpa do pecado;
  • Libertação do poder do pecado; e
  • Libertação da corrupção do pecado.

A salvação também nos reconcilia com Deus, além de restabelecer em nós a esperança da glória.

2.3. Porque é o Poder de Deus (Rm 1.16).
O evangelho é o grande plano de Deus em operação. O tempo todo a ênfase está em Deus e na grandeza e amplitude da salvação. É uma poderosa ação da parte de Deus.

O evangelho é o meio pelo qual Deus nos salva. É o poder de Deus produzindo salvação em nós.

2.4. Porque é um Evangelho “Para Todos” (Rm 1.16).
O termo “primeiro do Judeu, e também do grego” está se referindo a ordem étnica da salvação (dos judeus para o mundo).

A filosofia, riqueza e nobreza presentes em Roma era restrita a poucos privilegiados. A mensagem do Evangelho de Cristo anunciada pelo apóstolo Paulo é acessível a todos, independentemente de qualquer coisa.

2.5. Porque nele está a Justiça de Deus (Rm 1.17).
Significa a “justiça que vem e satisfaz Deus”, ou “aquilo que é aceitável a Deus”. Essa justiça responde a indagação de Jó (Jó 9.2).

Jesus é a justiça de Deus para nós!!! Ele satisfez a lei de Deus em nosso favor, sendo perfeito em todos os sentidos, se oferecendo em nosso lugar como sacrifício perfeito.

Através da fé, essa justiça nos livra da condenação e é imputada em nós para sermos aceitos diante de Deus como filhos de adoção.

2.6.  Porque essa justiça vem pela fé (Rm 1.17, cf. Ef 2.8-9).
É o dom especial dado por Deus, e através do qual o Senhor imputa sua justiça no cristão.

Paulo conclui o versículo com essa citação para declarar que, tendo sido justificados por Deus, estamos salvos eternamente.

CONCLUSÃO
“Portanto, estou seguro de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá nos afastar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8.38-39). Tem como nos envergonharmos do Evangelho de Cristo?

Que Deus nos abençoe!

Por Linaldo Lima
Site Oficial: linaldolima.com
E-mail: linaldolima@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/blogdelinaldo
Twitter: @linaldolima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *