O Sucesso está nos Diferenciais

terça-feira, julho 30th, 2013

Com esse post, estamos inaugurando a categoria “Motivacionais”, onde postaremos artigos e estudos multidisciplinares extraídos das palestras motivacionais que minstramos.

o-sucesso-esta-nos-diferenciaisE mais uma vez iniciamos uma nova seção porque fomos provocados. Só que dessa vez, mais pelas circunstâncias do que pelas pessoas, o que nos fez aceitar o desafio de preparar uma palestra motivacional que pode ser aplicável em qualquer área de nossa vida pessoal, social e/ou acadêmica. As circunstâncias que nos motivaram a “abraçar a causa” foram as mais diversas: necessidade de reciclagem dos líderes antigos da nossa igreja, capacitar os líderes recém-empossados em seus cargos eclesiásticos e, principalmente, despertar novos líderes equilibrados na Igreja de Cristo. Somado a todos esses fatores, ainda teve o impacto que tivemos com a leitura do livro “Construindo Diferenciais para a Vida”, de José Roberto Santos (2012), que estamos utilizando nessa palestra como uma das fontes filosóficas, além da Bíblia Sagrada é claro.

Pois bem, sem mais delongas vamos direto ao ponto: Qual o significado de sucesso? Uma das melhores definições que encontramos foi a de que sucesso é um resultado feliz (Dicionário Michaelis online). Veja quanta abrangência tem essa definição, não é? O que é ter um resultado feliz para um médico? E para um piloto? E quanto a um jogador de futebol? Para um escritor? E para um administrador, pedagogo, professor, aluno, empregado, empresário? E para um pastor de igreja? E para a liderança cristã?

Uma coisa é fato: Deus criou o homem para viver uma vida de sucesso. Você é um projeto de Deus antes mesmo de você existir. Não é por acaso que fomos criados conforme a semelhança do Criador (Gn 1: 27), isso já foi uma demonstração do próprio Deus de que nos criou para sermos bem-sucedidos. Entretanto, há uma parte dessa história que Ele deixou para nós fazermos, mas isso depende de uma decisão nossa: Fazer ou não fazer? Eis a questão.

Claro que o sucesso depende de fatores internos e externos relacionados a nós, enquanto pessoas. Os fatores internos são os que podemos controlar já os externos dependem de outros fatores, tais como o ambiente e as oportunidades. Entretanto, uma coisa é fato: Independente dos fatores compete a nós decidir se queremos ou não o sucesso. Se não estivemos abertos e prontos para o sucesso, de nada adiantarão as oportunidades favoráveis e o ambiente propício (Santos, 2012). O nosso futuro não depende exclusivamente de Deus. Ele já fez a parte dEle. Falta a nossa!

O dilema 5% e 95%… A qual grupo você pertence?
Se não buscarmos os diferenciais em tudo o que fazemos, certamente estaremos no grupo que serve apenas para fazer volume.

Há um texto na internet que é muito apropriado para essa parte, cuja autoria até hoje é desconhecida. De qualquer forma, achamos oportuno compartilhá-lo com você. Lá vai:

Tínhamos uma aula de Filosofia na Escola de Medicina logo após a semana da Pátria. Como a maioria dos alunos havia viajado, aproveitando o feriado prolongado, todos estavam ansiosos para contar as novidades aos colegas e a excitação era geral.

Um velho professor entrou na sala e imediatamente percebeu que iria ter trabalho para conseguir o silêncio. Com grande dose de paciência tentou começar a aula, mas você acha que a turma correspondeu? – que nada.

Com um certo constrangimento, o professor tornou a pedir silêncio educadamente. Não adiantou. Ignoramos a solicitação e continuamos firmes na conversa. Foi aí que o professor perdeu a paciência e deu a bronca mais dura que já presenciei.

Observe o que ele disse:

“prestem atenção porque eu vou falar isso uma única vez”, disse levantando a voz e um silêncio carregado de culpa se instalou na sala e o professor continuou. “Desde que comecei a lecionar, e isso já faz muitos anos, descobri que nós professores trabalhamos apenas 5% dos alunos de uma turma. Em todos esses anos observei que, de cada cem alunos apenas cinco fazem realmente alguma diferença no futuro; apenas cinco se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; são medíocres e passam pela vida sem deixar nada de útil.

O interessante é que esta porcentagem vale para todo o mundo. Se vocês prestarem atenção notarão que, de cem professores, apenas cinco são aqueles que fazem a diferença. De cem garçons, apenas cinco são excelentes; de cem motoristas de táxi, apenas cinco são verdadeiros profissionais; de 100 conhecidos, quando muito, 5 são verdadeiros amigos, fraternos e de absoluta confiança. E podemos generalizar ainda mais: de cem pessoas, apenas cinco são verdadeiramente especiais.

É uma pena não termos como separar estes 5% do resto, pois se isso fosse possível eu deixaria apenas os alunos especiais nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para dar uma boa aula e dormiria tranquilo, sabendo ter investido nos melhores. Mas, infelizmente não há como saber quais de vocês são estes alunos. Só o tempo é capaz de mostrar isso. Portanto, terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que estará sendo feita pelo resto. Claro que cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá. Obrigado pela atenção e vamos à aula de hoje”.

Nem preciso dizer o silêncio que ficou na sala e o nível de atenção que o professor conseguiu após aquele discurso. Aliás, a bronca tocou fundo em todos nós, pois minha turma teve um comportamento exemplar em todas as aulas de Fisiologia durante todo o semestre. Afinal, quem gosta de ser classificando como ‘fazendo parte do resto’?

Hoje não lembro muita coisa das aulas de Fisiologia, mas a bronca do professor eu nunca mais esqueci. Para mim, aquele professor foi um dos 5%, mas, como ele disse, não há como saber se estamos indo bem ou não; só o tempo dirá a que grupo pertencemos.

Contudo uma coisa é certa: se não tentarmos ser especiais em tudo o que fizermos, se não tentarmos fazer em tudo o melhor possível, seguramente sobraremos na turma do resto (Autor desconhecido).

Diante do que expusemos acima, nos vem a “pergunta que não quer calar”: A qual grupo você pertence? Você faz parte do grupo que faz a diferença (5%) ou é apenas parte integrante de uma multidão (95%) que segue aqueles que fazem a diferença? Lembremo-nos sempre de que não estamos aqui nessa terra para “fazer volume”, ser mais um na multidão, mas certamente para cumprir uma missão de Deus.

A nossa proposta nas próximas postagens dessa nova seção (Motivacionais) é demonstrar alguns hábitos simples que, se praticados natural e regularmente, gerarão os diferenciais necessários para nos levar ao caminho do sucesso. Hábitos que, em sua maioria, acabam passando despercebidos, mas que são capazes de produzir os diferenciais que precisamos. E esse é o segredo do sucesso: Os Diferenciais.

Próximo post da seção “Motivacionais”: “Saindo da Multidão”… Aguardem!

#QueDeusContinueTeAbençoando

Por Linaldo Lima
Blog Oficial: http://www.linaldolima.com
Facebook: http://www.facebook.com/BlogDeLinaldo
E-mails:
contato@linaldolima.com / linaldolima@gmail.com
Skype: linaldolima
Twitter: @linaldolima

BIBLIOGRAFIAS:

  1. SANTOS, José Roberto. Construindo diferenciais para a vida: filosofias bíblicas para alcançar uma vida diferenciada. 1ª Ed. Maceió: Q Gráfica, 2012.
  2. TAYLOR, Richard Shelley. A Vida Disciplinada. 1ª Ed.: Casa Nazarena de Publicações no Brasil, 2003.
  3. MICHAELIS.uol.com.br. Multidão. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL:http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=multid%E3o. Acessado em 11/07/2013.
  4. MICHAELIS.uol.com.br. Sucesso. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL:http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=multid%E3o. Acessado em 12/07/2013.
  5. SIGNIFICADOS.com.br. Qualidade de vida. Artigo disponível na internet via WWW, através da URL: http://www.significados.com.br/qualidade-de-vida/. Acessado em 20/07/2013.
  6. BÍBLIA Devocional de Estudo. Versão Almeida, Revista e Corrigida com referências, 1997.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *